Anvisa libera baratas no chocolate

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) cria resolução que libera baratas no chocolate.  A agência brasileira que determina a qualidade dos produtos para consumo determina quantidades toleráveis de matérias estranhas em alimentos e bebidas produzidas no país.

Chocolate é consumido por 67% dos brasileiros
Chocolate é consumido por 67% dos brasileiros

Muito gente ama o bom e velho chocolate. Sempre presente na vida dos brasileiros o chocolate é consumido por 67% da população do país. Que afirmam consumir diariamente a iguaria com uma média de 10 unidades por semana. O tablete puro é a preferencia nacional degustado por 82% dos consumidores e logo em seguida vem os bombons que são apreciados por 72% dos consumidores e em terceiro lugar na preferencia nacional estão as barras recheadas com um consumo médio de 58%. Esse quadro de consumo é liderado, sem sombras de dúvidas, pelas mulheres quem consumem em média 56%, ao passo que os homens consomem 44%.

Consumo de chocolates está acima de 7 unidades por pessoa
Consumo de chocolates está acima de 7 unidades por pessoa

São impressionantes as quantidades consumidas, dentre os 67% dos consumidores de chocolates no brasil, que são consideradas as pessoas que declaram ter consumido o produto nos últimos sete dias, consomem sete ou mais unidades por semana e 23% consomem entre três e seis unidades por semana. Já os “chocólatras”, ou seja, aqueles que consomem entre sete ou mais unidades de chocolate por semana, são liderados pelas mulheres que representam 58% desse grupo. O tablete puro é consumido quase que de forma unanime por 90% dos “chocólatras”.

Em 10 de julho de 2006 e 1 de julho de 2007 foi realizado um estudo pelo grupo IBOPE Mídia em nove regiões metropolitanas brasileiras, este estudo apontou que os Curitibanos lideram o consumo de chocolates no país com um total de setenta e um por cento (71%) seguidos dos Brasilienses que representam um total de setenta por cento (70%), já no lado inferior da tabela, com o menor consumo do país está Fortaleza com cerca de sessenta e três por cento de consumo (63%), que ainda assim representa um número bem significativo.

ANVISA e a Resolução RDC nº 14
ANVISA e a Resolução RDC nº 14

Com base nesse níveis altos de consumo o que poucos brasileiros sabem são as técnicas de produção e as regras de normalização do produto que são criadas e monitoradas pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).  Em uma norma de resolução criada pela Diretoria Colegiada da ANVISA de 28 de março de 2014, a RDC Nº 14 foi instituída para estabelecer a tolerância no número de matérias estranhas macroscópicas e microscópicas em alimentos e bebidas produzidas no Brasil.

Baratas no chocolate está liberado pela ANVISA
Baratas no chocolate está liberado pela ANVISA

A tolerância para as matérias estranhas macroscópicas e microscópicas vareiam de produto, sendo produtos já embalados e prontos para o consumo como produtos a granel que são embalados na frente do consumidor.  Essa resolução engloba todos os produtos industrializados, não apenas o chocolate. A ANVISA estabeleceu para o chocolate a tolerância de até 60 partículas de baratas e outros insetos a cada 100 gramas de chocolate. Isso foi levando em consideração a grande dificuldade dos fabricantes em manter os insetos longe da linha de produção do chocolate, devido a sua matéria prima ser extremamente atrativa para os insetos, tornando assim, praticamente impossível não conter insetos no alimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *